7 Descobertas científicas acidentalmente encontradas

Talvez você ache que isso seja uma brincadeira, mas não é! Acidentes nas pesquisas científicas acontecem o tempo todo.

É claro que alguns podem ocasionar em desastres, já outros podem resultar em doces maravilhas científicas que iremos usar diariamente em nossas vidas. Um exemplo clássico disso aconteceu semana passada. Um cientista, após ter tomado muito vinho e ficado bêbado, deixou cair uma taça com a bebida em cima de experiências que pesquisava. O resultado: um supercondutor altamente veloz. É difícil de acreditar, mas é verdade.

7º – O Viagra

A Medicina é uma ciência complicada. Muitos de seus experimentos são conseguidos através de complexos mecanismos científicos mas, nem sempre é assim. A sexualidade humana sempre foi tabu em muitas culturas, mas é tratada de forma mais aberta na nossa sociedade atual. O Viagra foi uma das invenções mais importantes para a vida conjugal, especialmente de pacientes que haviam perdido a capacidade de ereção. Sua descoberta foi até engraçada: era uma substância que era usada em pesquisas para tratar a angina, uma dor aguda e muito forte no coração, provocada pela falta de oxigenação nos músculos cardíacos. O mais impressionante era que a molécula do Viagra não tratava a dor, pelo contrário. Os pesquisadores perceberam que a irrigação sanguínea não era estimulada no coração, mas em outro lugar tinha efeito. Os pacientes que tomava o remédio ficam todos com ereção. Alguns ficavam constrangidos, pois não entendiam o motivo pelo qual estavam com ereção. Hoje, o Viagra é considerado um dos principais medicamentos utilizados na impotência masculina.

6º –  Brometo de Potássio. A droga antimasturbação

Um pouco depois da Idade Média, cientistas e médicos faziam dezenas de experiências para encontrar uma maneira química de fazer parar o sangue fluir naturalmente da cintura para baixo. Parece algo bizarro, mas é isso mesmo. Naquela época a masturbação era considerada um desvio de caráter social, um mal psicótico que deveria ser combatido. Várias tentativas eram feitas para que não ocorresse esta prática. Orações, práticas religiosas, surras e alguns acreditavam que consumindo biscoitos de Graham davam certo. Muitos pais usavam o biscoito como a única solução para o problema.

Os pais percebiam que os filhos se masturbavam bem menos quando comiam a bolacha que era feita de brometo de potássio. Desde então, o composto químico era reconhecido como um tratamento para a tal “doença”. Logo após a febre de consumo, médicos analisaram e perceberam que as pessoas na verdade faziam tudo, menos parar de se masturbar, e que na verdade a substância causava sonolência. Hoje o brometo de potássio é considerado um sedativo e os jovens se masturbam livremente sem restrições.

5º – Os Raios-X

Um físico, chamado de William Roentgen, estava filmando uma passagem de corrente elétrica sobre um gás especial dentro de tubos de vidro. Muitas pessoas maravilhavam-se com o brilho que vinha daquele gás. O físico, no entanto, não se importou com o brilho. Incomodado, ele cobriu o tubo de gás com uma folha de papel grossa e pesada. Após algum tempo, o brilho não havia parado de ser emitido e, ao invés de estar saindo do tubo, estava saindo de uma tela que havia sido tratada quimicamente com elementos metálicos pesado, que estava a poucos metros de distância da experiência. Após várias observações, o físico deduziu que um raio tinha passado através de elementos leves do papel, atingido a placa de metais pesados. Estava descoberto o raio-X.

4º – Vidros de Segurança

Uma descoberta que veio da falta de higiene. Os vidros de segurança foram inventados quando um pesquisador de materiais, com seu jeito estabanado, quebrou um copo numa prateleira do alto, que havia ficado lá por muito tempo, sujo e nacarado de camadas de alimentos. Ao pegar o copo, o pesquisador notou que ele estava quebrado, mas não soltou nenhuma lasca. Não existiam estilhaços, pois os cacos ficaram presos devido à sujeira. Deste modo foram criados os vidros de segurança encontrado nas lojas que, ao ser quebrado, ficam trincados sem estilhaçar.

3º – Penicilina

A Penicilina, muito conhecida pela população em hospitais de todo o Brasil com nome de Benzetacil, é um antibiótico largamente usado e foi descoberto acidentalmente por Alexander Fleming, recebendo o Prêmio Nobel por isso. O cientista havia tirado férias, esquecendo placas cheias de microrganismos. Quando voltou, percebeu que sua cultura de bactérias havia sido contaminada por bolor. Após pesquisas, ele descobriu que o fungo era do gêneroPenicillium, que produzia uma substância desconhecida que funcionava como bactericida. Anos depois a substância foi purificada e isolada, sendo feitos testes posteriores que comprovaram sua eficácia. Hoje, é um dos antibióticos mais utilizados em unidades de saúde do Brasil e do mundo.

Alguns registros dizem que na verdade, jovens que trabalhavam em estribarias, teriam descoberto este poder muito antes de Fleming. Aparentemente, usavam bolor de pão em feridas de cavalos e em suas próprias feridas, para evitar doenças. Esta afirmação não obteve provas de confirmação.

2º – A Sacarina

Nem todo mundo gosta de cozinhar e fazer pratos. Obviamente todo mundo deveria gostar de lavar as mãos. Nem todo mundo lembra-se disso. Constantin Fahlberg, após um longo dia de trabalho, manuseando alcatrão de carvão, indo a banheiros públicos em estações de ônibus, acariciando cães de rua, chegou em casa e, “porquinho” sem lavar as mãos, pegou um rolo de amassar pães de sua mulher e lambeu a parte que ele tinha acabado de tocar. Notou que havia um gosto doce na madeira. Perguntando a sua mulher o que ela havia passado ali, percebeu que na verdade o gosto vinha de sua mão. Estava descoberto a Sacarina, um dos edulcorantes (adoçante) mais utilizados nas indústrias alimentícias. Esta substância chama-se ácido anhidro-orto-sulfaminebenzóico (na nomenclatura química antiga), derivada da reação de tolueno mais ácido cloro-sulfônico.

1º – O Big Bang

Muitas vezes, descobertas são feitas de modo inusitado. Os pesquisadores Arno Penzias e Robert Wilson, estavam fazendo pesquisas com antenas para receber sinais vindos da Via Láctea. Na tentativa, a única coisa que conseguiam captar era um sinal irritante, agudo e contínuo. Para todo lado que os cientistas direcionavam a antena, o sinal continuava. Inicialmente, pensavam ser alguma interferência próxima, alguma rádio clandestina ou algo assim. Depois de inúmeras pesquisas e excluindo todas as possibilidades de interferência, de rádios a ondas militares ocultas, matando todos os pombos que viviam próximos e dentro da antena, notaram que o zumbido ainda persistia. Os cientistas pesquisaram e entenderam que, na verdade, estavam escutando resquícios de radiação do Big Bang. Não conseguiram acreditar na descoberta. Após a confirmação, se desculparam pelo “massacre” dos pombos e ganharam o Prêmio Nobel pela descoberta.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s