Nas nuvens: 3 mil substâncias e 7 espécies de bactérias foram encontradas em granizos

 À primeira vista, o granizo é encarado como algo “limpo” por ter caído do céu, o que faz com que as pessoas tenham o hábito de colocá-lo na boca.

Mas, a realidade é outra. Em um estudo recente, mais de 3.000 compostos químicos foram encontrados, além de diversas espécies de bactérias.

Cientistas dinamarqueses coletaram granizo após uma tempestade em maio de 2009 e descobriram que eles carregam consigo bactérias, comumente encontradas em algumas plantas terrestres e 3 mil substâncias encontradas no solo, para a surpresa dos pesquisadores.

A equipe de cientistas afirmou que a descoberta pode ter implicações importantes para a nossa compreensão sobre os padrões climáticos. Além disso, existe um “palpite” de que as bactérias poderiam provocar as próprias tempestades de granizo.

O estudo foi publicada na PLoS ONE por Tina Santl Temkiv e seus colegas da Universidade de Aarhus da Dinamarca.

Segundo os autores: “Quando começamos as análises, nós estávamos esperando alcançar uma caracterização meramente descritiva sobre a comunidade bacteriana em um habitat praticamente inexplorado”, afirmou Gosewinkel Karlson, líder do grupo de pesquisa aeromicrobiológica da universidade.

Mas o que descobrimos foi uma evidência indireta de processos de vida na atmosfera, selecionando bactérias”, acrescentou.

Algumas das espécies de bactérias favorecem a “semeadura” de cristais de gelo extremamente finos, que podem levar a formação de chuvas, sugerindo um importante papel nos ciclos climáticos, é o que acredita a equipe.

Elas estão sugando enormes quantidades de ar sob as nuvens”, disse Tina Santl Temkiv, química ambiental da universidade.

Há algumas décadas, cientistas descobriram grande complexidade de vida bacteriana em nuvens que ficam próximas de montanhas. As bactérias são seres fantásticos que conseguem sobrevivem em grandes altitudes e seus esporos podem sobreviver até mesmo ao ambiente do espaço sideral.

Os cientistas chamaram as bactérias encontradas de “nucleadoras de gelo” por possuírem capacidade de dispersar microcristais de gelo, sendo posteriormente anexadas as nuvens, favorecendo a queda de chuvas ou neve, dependendo da temperatura do arA equipe estudou 42 pedras de granizo que caíram de uma tempestade sobre Ljubljana, cidade da Eslovênia, em maio de 2009. Após a remoção cuidadosa da camada externa e completa esterilização do granizo, os cientistas puderam analisar a composição química encontrada no interior não contaminado pelo solo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s