Você conhece o Efeito Rossiter-McLaughlin? Ele pode ajudar na busca por exoplanetas

Um objeto que passa em frente a uma estrela, pode diminuir sua luminosidade, mas também pode mudar a sua cor, efeito chamado de Rossiter-McLaughlin.

O mecanismo é usado para encontrar exoplanetas chamados de “júpiter-quente”. Para explicar a ideia de como um planeta pode mudar a cor de uma estrela de vermelho para a azul, começaremos com o ‘Efeito Dopler’, um dos primeiros conceitos da Física que se aprende na escola. Ele explica um fenômeno diário – a mudança no tom das buzinas dos carros e como nos soa.

Um carro se aproximando emite ondas sonoras, que vêm em ‘bando’, como as ondas batendo na proa de um navio. Nós interpretamos os sons, de acordo com o número de ondas que atingiram nossos ouvidos durante um certo período de tempo. A aglomeração dessas ondas no faz ouvir um tom mais alto. Com a distância crescente do carro, as ondas vão se espalhando e nós ouvimos um tom mais baixo. É por isso que o som da buzina dos carros, ou qualquer outro som, começa a diminuir à medida que passam por nós.

Com a luz, ocorre um fenômeno parecido. A onda de luz em relação a um objeto que se aproxima “sobe” algumas nuances, se tornando mais ‘energética’. Em relação ao som, isso seria uma nota mais alta, na luz visível isso significa uma mudança em direção ao tom azul.

Se o objeto se afasta, a cor se dirige ao tom menos ‘energético’, o vermelho. Essas mudanças de cor podem ocorrer em qualquer parte do espectro de luz, mesmo em luz infravermelha ou ultravioleta, que não podemos ver. As mudanças ascendentes são chamadas ‘turnos azuis’ e as descendentes ‘ turnos vermelhos’.

Geralmente as estrelas estão girando no espaço, assim como os planetas. Quando olhamos para essas estrelas giratórias, tecnicamente, a parte que está virando para trás, está se afastando de nós, por mais que a estrela não esteja se movendo, enquanto a parte que está girando para frente está se aproximando.

Devido a isso, a luz da parte que está para trás é em ‘turno vermelho’, enquanto a que está para frente é em ‘turno azul’ e isto leva à composição específica da cor da estrela.

O Efeito Rossiter-McLaughlin acontece quando uma estrela binária ou um grande planeta se move na frente da estrela. O objeto vai cobri-la alternadamente, deixando visível o turno vermelho ou o turno azul, um de cada vez, isso faz com que a composição espectral da cor específica da estrela mude.


O Efeito Rossiter-McLaughlin é muito sutil, e não costuma ocorrer com a luz que os seres humanos são capazes de ver a olho nu. Ele é útil quando se trata da procura por exoplanetas gasosos gigantescos em torno de estrelas distantes.
Imagine uma sala onde a iluminação ambiente fosse de duas luzes, uma azul e outra vermelha. O efeito seria como se uma pessoa colocasse a mão, tapando as luzes alternadamente, o que modificaria o tom da cor da sala.

Os planetas e estrelas precisam estar alinhados corretamente para dar certo, mas a observação desse efeito pode nos ajudar na descoberta de sistemas binários e exoplanetas, no futuro.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s