Pacientes retomam sensibilidade e autonomia após transplante de células-tronco

Cinco meses. Esse foi o tempo entre o transplante de células-tronco e a recuperação da sensibilidade das pernas e costas do estudante paulista Bruno Esteves Sanchez. Há cerca de dois anos, ele foi vítima de um acidente de moto que provocou uma lesão na coluna vertebral. Nas previsões mais otimistas, os médicos acreditavam que ele voltaria, no máximo, a conseguir ficar sentado.

Nesta terça (27), durante a inauguração do Centro de Estudo e Pesquisa em Reabilitação do Hospital Espanhol, Bruno mostrou os resultados do tratamento iniciado em outubro passado: ele senta, controla os espasmos respiratórios e musculares, consegue sentir o toque nas costas e pernas, além de conseguir levantar.
O progresso do jovem foi acompanhado pela equipe de reportagem do CORREIO, que publicou na Coluna Saúde, em novembro, as primeiras notícias um mês após a cirurgia.
Para quem achou que passaria o resto dos seus dias numa cama, Bruno  já pensa, inclusive, em retomar sua vida na universidade. “Na época do acidente não conseguia nem levantar da cama. Por causa da lesão, eu tinha acessos respiratórios e musculares que comprometiam minha respiração e fala”, lembra ele, com um sorriso vitorioso de quem já superou a pior fase.
progressos Atualmente, em maior ou menor grau, todos oito pacientes que realizaram o transplante têm percebido melhoras nos seus quadros clínicos, conseguindo recuperar a sensibilidade e a autonomia diante de funções consideradas simples para quem não tem problemas de mobilidade, mas extremamente importantes como controlar a urina e as fezes.
Em abril, a equipe espera iniciar o tratamento em mais seis pacientes e, ao longo do ano,  chegar a 20 pacientes contemplados. A pesquisa, ainda em  fase  inicial, começou em 2010, conta com o financiamento do Ministério da Saúde e tem como parceiros a  Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Hospital Espanhol e o Centro de Biotecnologia e Terapia Celular do Hospital São Rafael (CBTC).
Para a fisioterapeuta e coordenadora do Centro do Espanhol, Ana Martinez, com a abertura desse espaço, a pesquisa consegue duplicar a capacidade de tratamento. Os pacientes transplantados passam a contar com o Centro do Espanhol e a Clínica de Reabilitação da Estácio-FIB, no Stiep.
“Procuramos dotar os espaços com a estrutura necessária para que o desenvolvimento do tratamento aconteça da melhor forma possível”, esclareceu a fisioterapeuta, destacando que o centro tem equipamentos que auxiliam no desenvolvimento de técnicas modernas da fisioterapia, como exercícios interativos com jogos eletrônicos, a exemplo do Kinect e a wiiterapia,  da Nitendo.

Inovações

O ‘milagre’ alcançado pelos oito transplantados foi conseguido graças à junção entre duas inovações baianas: a  terapia com células-tronco aplicada em trauma raquimedular e a técnica de fisioterapia chamada de Kinesioplasticidade.
Segundo a fisioterapeuta Cláudia Bahia, uma das responsáveis pelo desenvolvimento da nova técnica, uma vez que o paciente recebe o transplante de células-tronco, elas começam a se multiplicar regenerando a área lesada. “A partir daí, pegamos essas células e, por meio de postura e exercícios específicos,  ensinamos essas células a executarem novamente o movimento perdido”, esclarece.
É claro que a meta de Bruno e dos demais é retomar o movimento das pernas. No entanto, o ganho da qualidade de vida e da independência já são comemorados como vitórias importantes.

Força

Natural de Ituberá, no Baixo Sul baiano, o estudante Marlon Silva Viana,23 anos, perdeu o movimento das pernas em 2009, num acidente de moto. Em 5 de dezembro  passado, ele foi submetido ao transplante.
Três meses apenas após o início do tratamento, ele recuperou a sensibilidade das pernas, ganhou força suficiente para ficar de pé, ganhou a noção do impacto de passos e toques nos ossos e conseguiu controlar a bexiga. “Os ganhos foram muitos e em pouco tempo, estou confiante no que ainda vou conseguir de recuperação”, comemora.
O método de transplante de células tronco começou a ser estudado na Bahia há seis anos, por pesquisadores da Fundação Osvaldo Cruz e dos hospitais Espanhol e São Rafael.Os estudos iniciais mostraram que cães e gatos que receberam injeções dessas células recuperaram parte dos movimentos perdidos.

Pacientes vêm de outros estados

Sérgio Alencar de Castro, 37 anos, também esteve na inauguração do Centro. Em julho de 2010, no banco de trás de um automóvel e sem cinto de segurança, ele – que morava em Minas Gerais – foi vítima de um acidente e teve lesão na coluna vertebral em nível 5.

Depois de um ano de reabilitação do Hospital Sarah Kubitschek, em Brasília,  ele se candidatou e foi escolhido para participar do transplante de células- tronco na Bahia.
Para conseguir a qualidade de vida já alcançada pelos demais transplantados, ele já fez a coleta das células e aguarda o procedimento cirúrgico para iniciar o tratamento fisioterápico que consiste em uma etapa inicial que dura 60 dias, intensivamente, nos turnos matutino e vespertino. Como os pacientes que vieram de fora, Sérgio transferiu sua vida para a capital do estado para conseguir acompanhar o tratamento fisioterápico e participar das avaliações  médicas.

Inovações

Outra paciente que também se transferiu para a Bahia foi Rejane Cantídio,34. Natural de Tocantins, ela sofreu um acidente de carro, em 2006, que resultou numa lesão medular. Por meio de um programa de TV, Rejane soube que a esperança de retomar sua vida podia estar na Bahia e não titubeou em se transferir para o estado. Agora, ela  aguarda sua vez para realizar o transplante.
Terminada a etapa de implantação das células-tronco, Cláudia Bahia e sua equipe trabalham mais 120 dias, apenas em um turno, aprimorando o conhecimento do movimento. “A base do processo consiste em reativar a memória do movimento que havia antes da lesão e ensinar às novas células presentes na medula como se executa o gesto”,  diz a fisioterapeuta, destacando que os movimentos treinados são o rolar, engatinhar e andar.
“Ao final de 180 dias, buscamos relembrar ao corpo toda a possibilidade de mobilidade esquecida”, diz a fisioterapeuta que, ainda nesse primeiro semestre, deve lançar junto com a também fisioterapeuta Thaís Miranda, um livro abordando o novo método criado especificamente para os transplantados.

Técnica pioneira retira células-tronco da região da bacia

Primeira capital do Brasil, sede da primeira Faculdade de Medicina no país, Salvador também foi o lugar escolhido para a realização do primeiro transplante de células-tronco em paciente com trauma raquimedular, utilizando a técnica de cultura de células mesenquimais do país.
A técnica que utiliza a cultura de células-tronco mesenquimais consiste na retirada, por meio de aspiração, das células da região da bacia. Num ambiente específico, as células se reproduzem e depois de quatro semanas são reimplantadas no corpo, mais especificamente no local lesionado. “Para esse transplante, buscamos utilizar controles rigorosos que garantissem a segurança no desenvolvimento dessas células”, completou a pesquisadora Milena Soares, da FioCruz.
O procedimento de transplante tem à frente o coordenador do Serviço de Neurocirurgia do HE, Marcus Vinícius Mendonça. Desde agosto de 2010, vinte pacientes paraplégicos voluntários participam da iniciativa, que tem como objetivo a recuperação de movimentos comprometidos. Vale salientar que este é o primeiro estudo em trauma raquimedular do Brasil, que utiliza culturas de células-tronco mesenquimais. 

Informações: Correio da Bahia

Advertisements

2 thoughts on “Pacientes retomam sensibilidade e autonomia após transplante de células-tronco

    • Nós na verdade não sabemos como anda a situação do Hospital em questão, mas a PESQUISA continua independentemente da situação do Hospital. Cremos que isso que é o “mais importante” para a ciência.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s