Stephen Hawking sugere que fãs desesperadas do One Direction estudem física teórica

O célebre astrofísico Stephen Hawking recomendou às fãs da banda inglesa One Direction que comecem a estudar física teórica para que possam encontrar a prova da existência de um universo alternativo no qual o cantor Zayn Malik ainda faz parte da banda.

Adolescentes no mundo todo entraram em desespero quando Malik anunciou em março que deixaria a boy band. Desde então, alguma hashtag envolvendo o nome do cantor aparece todos os dias entre os assuntos mais comentados do Twitter. No último fim de semana, a frase “O que você estava fazendo quando Zayn pediu para ir embora” foi uma das mais populares.

hawking

Aproveitando esse gancho, um jornalista fez a Stephen Hawking a seguinte pergunta durante um evento na Austrália, no último sábado (25): “Qual é o efeito cosmológica de Zayn deixar o One Direction e assim despedaçar os corações de milhões de adolescentes pelo mundo?” A resposta de Hawking, “presente” na conferência em forma de holografia, foi otimista, ao usar a teoria dos multiversos: a ideia de que diversos universos paralelos existem simultaneamente.

“Meu conselho para qualquer jovem garota deprimida é prestar atenção no estudo da física teórica. Porque, um dia, a teoria dos universos múltiplos pode ser provada”, afirmou. “Não é improvável que em algum lugar, fora de nosso universo, exista outro universo — e nesse universo, Zayn ainda está no One Direction.”

‘A Teoria de Tudo’

Hawking participou do evento ao lado de sua filha Lucy e do físico Paul Davies, que estavam presentes fisicamente em Sydney. Perguntado a respeito de sua cinebiografia A Teoria de Tudo, Hawking afirmou que estava preocupado com o projeto porque ele foi baseado em um livro escrito pela ex-mulher, Jane Wilde, mas disse que ficou mais tranquilo ao ler o roteiro e participar de uma exibição prévia do filme.

“Ele é surpreendentemente honesto a respeito de nosso casamento”, disse Hawking, que também aprovou o retrato que o ator Eddie Redmayne fez dele. “Foi o mais próximo possível de voltar no tempo.” Qualquer distorção feita pelo roteiro em relação à história real foram mínimos, disse Hawking. “Não vou dizer para os produtores como fazer filmes, do mesmo jeito que eles não me dizem como resolver os problemas do universo”, disse. Apesar de achar que o filme deveria ter “mais física e menos sentimentos”, o físico afirma que ele acha isso de todos os outros filmes que assiste.

FONTE: The Guardian e Revista Abril

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s