Micróbios no gelo ajudando a entender a Terra primitiva

antarcticmic

YARA LAIZ SOUZA – Uma camada verde fina e viscosa de micróbios está gerando um rastro de oxigênio que pode mostrar sobre como a Terra primitiva era antes da dominação pelo oxigênio na atmosfera. Esses micróbios estão na parte inferior de um lago super gelado da Antártida e os resultados das pesquisas envolvendo esses seres podem dar mais um norte na detecção de oxigênio em planetas distantes.

O oxigênio compreende cerca de um quinto da atmosfera da Terra, que é tomada de nitrogênio. Pesquisas recentes sugerem que o nitrogênio pode ser o grande sinalizador de vida, uma vez que compactua para o aparecimento de água líquida na superfície de um planeta. O oxigênio começou a ter mais espaço conforme a vida foi aparecendo na Terra.

O pico nos níveis de oxigênio ocorreu devido ao advento da fotossíntese das cianobactérias – micróbios que abastecem a sua vida transformando energia solar em energia química. Os primeiros micróbios que dominaram a Terra encontraram oxigênio venenoso e eles tiveram que encontrar maneiras de lidar com esse oxigênio. O pesquisador Dawn Sumner da Universidade da Califórnia, estuda a camada de micróbios da Antártica para poder traçar esse cenário primitivo e tentar encontrar respostas para algumas perguntas.

Esses micróbios estão no lago de vales secos Lake Fryxell, que está coberto por gelo. Esse gelo tem entre 13 a 16 pés de espessura. A equipe do pesquisador precisa fazer um furo de sete polegadas de largura no gelo para poder estudar os micróbios. Os lagos de vales secos normalmente contém oxigênio em suas camadas superiores, mas são anóxicas (tem pouco ou nenhum oxigênio) quando a profundidade é maior.

1-antarcticmic

Após estudos, veio a confirmação de que os micróbios encontrados eram cianobactérias, que tem pequenos pingos verdes, sinalizando atividade fotossintética. Eles geram finas camadas de oxigênio de um a dois milímetros de espessura.

“Entender como o oxigênio é produzido e consumido pode nos ajudar a tornar melhor os modelos para a Terra primitiva”, comenta Sumner.

Via: Astrobiology Nasa

Anúncios

2 thoughts on “Micróbios no gelo ajudando a entender a Terra primitiva

  1. “Esse gelo tem entre 13 a 16 pés de espessura. A equipe do pesquisador precisa fazer um furo de sete polegadas de largura no gelo para poder estudar os micróbios.”

    Aí cês me quebram… Só tem um país que consegue decifrar esses números!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s