Chaminés hidrotermais ajudaram na formação do RNA

vents.jpg__600x600_q85_subsampling-2

YARA LAIZ SOUZA – As chaminés hidrotermais ajudaram a criar as primeiras moléculas de RNA que deram origem a vida na Terra, segundo pesquisa do Rensselaer Polytechnic Institute de Nova Iorque. A origem da vida na Terra continua sendo um mistério que fascina ainda mais cientistas de todo o mundo e, agora, a hipótese das chaminés hidrotermais abre mais um caminho para as investigações atuais.

A vida atual conta com a molécula de DNA como principal detentora de suas características gerais. O dilema do “quem nasceu primeiro” sobre o RNA e o DNA pode ser resolvido com a visão de que os primeiros tipos de vida dependiam de compostos básicos e mais simples como o RNA. Após servir como enzima e como proteína, armazenar dados e ajudar na criação do DNA, o RNA foi substituído por DNA por ser mais eficiente. Mesmo assim, o RNA cumpre a função de auxiliar do DNA e tem um papel vital nos seres vivos.

A resposta para como o RNA apareceu pode estar nas chaminés hidrotermais no fundo do mar. Eles contém minerais, como hidreto de potássio, que ajudaram na criação de pequenos compostos orgânicos. Essas chaminés também são ricas em ferro e enxofre e estudos anteriores sugerira que estas chaminés poderiam ter isolado e concentrado moléculas inorgânicas em conjunto e estimulado o surgimento de vida.

Os pesquisadores sintetizaram chaminés com soluções de ferro, enxofre e silício em frascos de vidro. Esses vidros com as soluções foram colocados em líquidos e gases que se assemelham aos oceanos e a Terra primitiva. Após inserir soluções alcalinas com vários produtos químicos dos oceanos, uma ventilação simulou as marés primordiais.

burcarfig2.jpg__600x600_q85_subsampling-2

“Ser capaz de realizar nossos experimentos em estruturas de chaminés hidrotermais parecia algo que se poderia encontrar nas regiões mais escuras da Terra Média de Tolkien; foi um contexto geológico que despertou a nossa imaginação” disse a co-autora do estudo Linda McGown.

Ela e seus parceiros descobriram que não só a composição química das chaminés foi importante quando o assunto é a formação de RNA; a estrutura física delas também foi crucial: eles misturaram as soluções de ferro, enxofre e silício aos poucos para formar a estrutura das chaminés. Se tivessem apenas jogado as soluções na água, o RNA não teria seu início desencadeado.  “As chaminés, e não apenas seus constituintes, são responsáveis pela polimerização do RNA”, conta McGown.

Uma das preocupações dos pesquisadores é que o experimento foi feito em temperatura ambiente e as chaminés hidrotermais são muito mais quentes. Porém, eles argumentam que temperaturas maiores poderiam destruir o RNA e que, na Terra primitiva, chaminés mais frias poderiam ter nutrido o RNA. “Temos em mente, contudo, que as fontes hidrotermais são sistemas dinâmicos com gradientes de condições físicas, de temperatura e composição química”, enfatiza a pesquisadora.

Futuramente, eles pretendem realizar experimentos para investigar efeitos variáveis como pressão, temperatura e mineralogia sobre a formação das moléculas de RNA, principalmente sobre as condições que imitam os ambientes da Terra primitiva e ambientes que também poderiam ter existido em Marte.

Via Astrobiology NASA

 

 

 

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s